21.4.14

Tertúlia - Lisboa


Almada


Caros amigos e associados

Convidam-se todos os associados e amigos para uma sessão pública no dia 23 de Abril, pelas 15 horas no auditório da Escola Secundária Emídio Navarro, sita na Av. D. Leonor ( Junto ao centro Comercial MBica).
Pela importância dos temas em debate e dos oradores convidados pedimos a vossa presença para que o mesmo seja enriquecedor.
Contamos com a vossa participação, tragam amigos e divulguem na vossa área de residência.
Saudações e os nossos melhores cumprimentos.

Dinamizadoras:
Maria Laura Casa Nova
Maria Cândida Leal
Silvina Madalena

Carnaxide - Queijas


18.4.14

Opinião


A comentadora Constança Cunha e Sá afirmou, nesta sexta-feira, na TVI24, que os cortes anunciados pelo Governo estão «a atingir proporções inacreditáveis». 
«Eu acho que toda esta história dos cortes, em particular das pensões, está a atingir proporções perfeitamente inacreditáveis. Vamos fazer um pequeno historial do que se tem passado, nomeadamente em abril. Primeiro, os cortes que eram temporários passaram de repente a definitivos. O Governo que durante três anos disse que estes cortes eram para uma situação de emergência, deu o dito por não dito e passou a dizer que eram definitivos. Isto de um dia para o outro sem que ninguém tivesse uma explicação para esse efeito, o que prova que o Governo tem um discurso para o Tribunal Constitucional, a quem diz que os cortes são provisórios, tem um discurso para os credores, a quem diz que são definitivos, e não tem discurso nenhum para os portugueses. Portanto, Passos Coelho não teve vergonha nenhuma de depois de três anos a andar a dizer que os cortes eram provisórios, vir dizer de um dia para o outro que eram definitvos», afirmou Constança Cunha e Sá.

17.4.14

Coimbra - 17 Abril 1969

  

Coimbra
17 de Abril de 1969
Foi assim, faz hoje 45 anos, lançada à terra a semente do 25 de Abril de 1974.

Associação 25 de Abril


Cara(o) s Amiga (o)s

Para além de vos dar conhecimento do comunicado que acabámos de divulgar, informamos que o militar de Abril que usará da palavra, no fim do desfile, no Rossio, será o vice-presidente da Direcção da A25A, coronel Aprígio Ramalho.

Cordiais saudações
Vasco Lourenço

16.4.14

25 de Abril de 1974



A Queda do Regime

Cascais



NOTAS SOBRE A SESSÃO PÚBLICA/DEBATE DE 14 DE ABRIL DE 2014 – CASCAIS

Os Núcleos de Cascais e Lisboa Ocidental da Região Lisboa  promoveram no dia 14 de Abril, em Cascais,  um debate no âmbito da campanha UMA VOLTA PELO VOTO. Sala cheia.
Com a presença dos oradores Jaime Silva, Conselheiro da Comissão Europeia, José Ribeiro e Castro, deputado à Assembleia da República e Diogo Duarte, presidente da associação de estudantes do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, da Universidade de Lisboa, bem como de Rosário Gama, presidente da Apre!.
Ainda estiveram presentes Fernando Martins e Teresa Rio  da Direcção da APRe!.

Jaime Silva o primeiro orador convidado falou das 3 princípios orientadores da Comissão Europeia aquando da presidência de Jacques Delors:
·    Concorrência;
·    Cooperação – base da construção da União Europeia;
·    Solidariedade com os diferentes Estados Membros.
Todos os Estados Membros são parte integrante da União Europeia.
Os processos de decisão competem ao Parlamento Europeu e ao Conselho. O Tratado de Lisboa reforçou os poderes do PE. Todos os Estados Membros contribuem para o Orçamento da UE. Realçou que os Estados Membros negoceiam com a Comissão em pé de igualdade. Não vamos pedir nada, vamos negociar, a UE é um clube onde se negoceia.
A Comissão, que tem poderes para propor legislação negoceia com os Estados Membros, com base em estudos, elabora o livro branco, o livro verde. Temos de participar nas estruturas associativas em Bruxelas para sermos ouvidos.
Realçou bem a importância de o país ter objectivos nacionais nas  áreas das funções do Estado, da Educação, da Saúde, da Segurança Social, no contexto da crise económica, que veio chamar a atenção sobre estas questões.

Ribeiro e Castro  realçou o descontentamento que existe na sociedade portuguesa sobre o comportamento dos políticos. Os partidos políticos portugueses não ajudam a perceber a importância do Projecto Europeu e das Eleições Europeias. Continuamos a dizer que nós cá é que sabemos, esquecendo que   
60% das decisões são tomadas em Bruxelas, pelo se deve escolher  uma equipa capaz de defender o interesse nacional em função dos interesses europeus. Com excepção das listas do PS, até ao  8º lugar,  as outras listas são fracas.
Os partidos deviam explicar três temas nesta campanha eleitoral:
·    Reflexão crítica sobre os Fundos de Coesão;
·    Convergência da zona Euro;
·    Como fazer participar os cidadãos nas eleições europeias.

Diogo Duarte referiu que os jovens têm uma forma e estar rebelde, por vezes não querem aceitar os ensinamentos dos mais velhos.
Os jovens que desistiram de lutar têm de assumir responsabilidades e não apenas a invocar ajuda.
Falou da participação cívica, designadamente na participação das eleições para os dirigentes associativos  e mesmos na vida das associações.
Finalmente referiu que era fundamental que os jovens compreendessem a importância de ir votar nos candidatos ao PE.

Maria do Rosário Gama  referiu a importância do voto. O voto branco ou nulo não têm qualquer influência no apuramento de resultados.
A APRe! percebeu que já tinha entendido a mensagem do JS pelo que já se está a trabalhar  no processo europeu, frisou as acções já realizadas nesse sentido, designadamente o Colóquio Internacional realizado em Lisboa, no ano passado,  no qual estiveram representadas associações  (grega, francesa, espanhola), referiu ainda as idas ao PE e a Riga.
Realçou que a solidariedade europeia não existe.
Por fim salientou que temos de fazer forte pressão na União Europeia, na defesa da segurança social, designadamente das pensões.

A seguir, os participantes colocaram questões sintetizadas no quadro seguinte:


José Barbosa
M Dores Ribeiro
14 de Abril de 2014